Jump to content

Recommended Posts

Resumo de artigo científico

Um estudo de mapeamento sistemático no uso de práticas de Engenharia de Software para desenvolver MVPs.


No artigo em tela, os autores tratam da temática do uso de MVPs (Mínimo Produto Viável) em organizações. Segundo eles, companhias tradicionais e startups têm adotado essa prática, proporcionando uma experimentação de soluções. Essa metodologia, proposta por Eric Ries, permite aos empreendedores desenvolver produtos inovadores, validando com a experiência dos clientes e com o mínimo de esforço. MVPs têm o foco em identificar e avaliar algo que agregue um valor real ao cliente. Este conceito influenciou, nas equipes de desenvolvimento de software, a forma de como é aplicada a Engenharia de Software (ES). Após revisão sistemática de literatura, os pesquisadores identificaram que há uma compreensão incompleta dessa influência.

Para preencher tal lacuna, os autores objetivaram compreender as práticas da engenharia de software que vêm sendo utilizadas para desenvolver produtos de MVPs.  Para tanto, foram sintetizadas publicações com práticas empregadas no desenvolvimento de software usando MVPs. Foi conduzido um mapeamento sistemático da literatura, usando a estratégia híbrida, a qual consiste em uma busca em base de estudos e paralelamente com o snowballing. Os 33 estudos aos quais os autores chegaram foram caracterizados e relacionados a quatro atividades: idealização, avaliação de viabilidade técnica, estimativa de esforço e avaliação. Os autores observaram que a maioria dos estudos está relacionada à idealização e avaliação de MVPs. 

Sobre a idealização, foram encontradas diversas abordagens como Design Thinking e Lean Inception, bem como práticas informais voltadas ao usuário final (por exemplo, workshops, entrevistas) e documentação leve (por exemplo, recursos, histórias de usuários). Para avaliação, os autores dão conta de ênfase nas validações do usuário final, baseando-se em práticas como testes de usabilidade, testes A/B e análise de dados. No entanto, para eles, há poucas pesquisas relacionadas à  avaliação de técnicas de MVP e estimativa de esforço. Observaram também uma falta de rigor científico em muitos dos estudos.

Os autores concluíram que há oportunidades para propor soluções relacionadas à avaliação da viabilidade técnica e à estimativa do esforço. Além disso, mais esforços precisam ser investidos na avaliação empírica das práticas existentes relacionadas ao MVP. 

Referência

ALONSO, Silvio et al. A Systematic Mapping Study on the Use of Software Engineering Practices to Develop MVPs. In: 2021 47th Euromicro Conference on Software Engineering and Advanced Applications (SEAA). IEEE, 2021. p. 62-69.

  • Curtir 7
  • Amei 2
Link to comment
Share on other sites

Ótimo o conteúdo meu amigo. Realmente o MVP faz a diferença na vida de um software, acelerando sua validação e seu crescimento. Esse teste para ver a viabilidade do produto ajuda a validar se há espaço no mercado para a ideia, antes que seja feito um investimento financeiro no produto. Além de validar a ideia ajuda a economizar uma grana. 

  • Amei 1
Link to comment
Share on other sites

28 minutos atrás, Thiago_Cavalcante disse:

Ótimo o conteúdo meu amigo. Realmente o MVP faz a diferença na vida de um software, acelerando sua validação e seu crescimento. Esse teste para ver a viabilidade do produto ajuda a validar se há espaço no mercado para a ideia, antes que seja feito um investimento financeiro no produto. Além de validar a ideia ajuda a economizar uma grana. 

Muito obrigado pelo feedback @Thiago_Cavalcante !!!

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now


×
×
  • Create New...